O testemunho ético de Primo Levi sobre a zona cinzenta: um problema de julgamento e representação / Primo Levi’s ethical testimony on the grey zone: the problem of judgment and representation

Lucas Amaral de OLIVEIRA

Resumo


O artigo problematiza o caráter ético do testemunho literário de Primo Levi sobre sua experiência em Auschwitz. Sua narrativa sugere chaves analíticas importantes para entender não só o universo concentracionário enquanto local de desubjetivação, mas também o papel da máquina nazista na constituição de figuras arquetípicas e de contornos mal definidos no interior dos campos. O objetivo deste texto é examinar o fenômeno da zona grigia, a figura paradigmática do Muselmann e o caso de Hurbinek. Os casos alertam para o risco do julgamento dessas figuras – que compõem um espaço nebuloso de indeterminação moral – com medidas do presente, sem que se avalie, antes, as circunstâncias empíricas às quais foram submetidas. Levi argumenta, nesse sentido, que é preciso sempre ter em vista os pontos cegos que definem as fronteiras das zonas cinzentas de eventos traumáticos, a partir dos quais papéis sociais tendem a se confundir em função das estratégias de perpetradores em imputar culpa e responsabilidade às vítimas.


Palavras-chave


Primo Levi. Julgamento Moral. Zona Cinzenta. Auschwitz. Testemunho.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa Av. Dom Antônio, 2100 - Pq Universitário

CEP - 19.806-900 - Assis - SP - Brasil
Telefone (18) 3302-5835
e-mail: patrimonioememoria@gmail.com
http://www.cedap.assis.unesp.br

Indexadores


Portal RedibLatindexDiadorimHarvard Library

Periodicos Capes

SHERPA/RoMEOEBSCOPKP logo
SEERDialNetOAJIEZB
erihplus