1922: Páginas de consagração e destruição

Ana Luiza MARTINS

Resumo


Este texto — sem perder de vista a linha de reflexão crítica em torno de celebrações e da criação da História e da Memória que as cultua e consagra —, discute a outra trajetória a partir de 1922: aquela da eleição de bens culturais a serem preservados. Esse momento é instituidor de iniciativas que conformam os serviços de proteção ao patrimônio, que ao fim e ao cabo resultam em celebrações de recortes da História e cultivo de Memórias, não obstante ao sabor de interesses de grupos, classes, instituições, governos e políticas setorizadas. Trata-se, sem dúvida, de uma seleção enviesada que vem sendo mais recentemente desconstruída por alguns trabalhos acadêmicos, permitindo outra avaliação crítica.

Palavras-chave


celebrações, resignificação da memória, patrimônio cultural

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa Av. Dom Antônio, 2100 - Pq Universitário

CEP - 19.806-900 - Assis - SP - Brasil
Telefone (18) 3302-5835
e-mail: patrimonioememoria@gmail.com
http://www.cedap.assis.unesp.br

Indexadores


Portal RedibLatindexDiadorimHarvard Library

Periodicos Capes

SHERPA/RoMEOEBSCOPKP logo
SEERDialNetOAJIEZB
erihplus