A cultura Xerente e seu artesanato dourado. Patrimônio, memória e registro na região do Jalapão – Tocantins / The Xerente culture and its golden handicrafts. Heritage, memory and registry in the region of Jalapão-Tocantins

Janaina Cardoso de MELLO

Resumo


O artigo busca analisar os processos de registro e salvaguarda da memória e das heranças indígenas e quilombolas no artesanato em capim dourado, na região do Jalapão, no estado do Tocantins. A presença da cultura Xerente em meio à comunidade quilombola do Mumbuca enfatiza o papel da tradição que, diante dos efeitos da pós-modernidade nas relações de sustentabilidade, busca não somente junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) mas também no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) a origem geográfica de seus produtos como mecanismos de ampliação de renda, competitividade no mercado dentro dos princípios de uma Economia da Cultura que valorize a qualidade das peças artesanais e a fidelização dos clientes.

 


Palavras-chave


Artesanato. Cultura indígena. Mumbuca. Capim dourado. Registro.

Texto completo:

PDF

Referências


AMOROSO, Marta Rosa. Nimuendajú às voltas com a história. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, 2001, V. 44, nº 2, pp.173-186.

BELAS, Carla Arouca. Indicações Geográficas e a salvaguarda do Patrimônio Cultural: artesanato de Capim Dourado Jalapão – Brasil. Tese de Doutorado em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade. Rio de Janeiro: UFRRJ, 2012.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

CAMPOS, Luís; CANAVEZES, Sara. Introdução à Globalização. Évora: Instituto Bento Jesus Caraça/ Departamento de Formação da CGTP-IN, 2007.

CAPIM DOURADO: artesanato do Jalapão recebe selo de Indicação Geográfica do INPI. Disponível em: http://www.infojoia.com.br/news_portal/noticia_10742, Acesso em: 26/06/2014.

CARACRISTI, Maria de Fátima de Albuquerque; ALMEIDA, Maria Geralda de. Territorialidade Ameaçada: Políticas e Capim Dourado no Jalapão. Actas 14º EGAL – Encuentro de Geógrafos de América Latina. Perú, 2003. Disponível em: http://www.egal2013.pe/wp-content/uploads/2013/07/Tra_Maria-de-F%C3%A1tima-Maria-Geralda.pdf, Acesso em: 02/07/2014.

CASTRO, Eliane; PEREIRA, Luciano. Capim Dourado: trançando a tradição. Palmas: FCT, 2010.15p.

CATÁLOGO CAPIM DOURADO. Design popular do Jalapão. Manejo comunitário sustentável. Disponível em: http://www.centraldocerrado.org.br/blog/wp-content/uploads/2009/03/catalogo-capim-dourado.pdf, Acesso em: 22/06/2014.

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE TOCANTINS. Portaria nº 04 (18/02/2009). Ano XXI, nº 2.851, de 11/03/2009.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

JUNGMANN, Diana de Mello; BONETTI , Esther Aquemi. Inovação e propriedade intelectual: guia para o docente . Brasilia: SENAI, 2010. 93 p.

KIPPER, Liane Mählmann; GRUNEVALD, Isabel; NEU, Daiane Ferreira Prestes. Manual de Propriedade Intelectual. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2011.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca em sociedades arcaicas. In: Sociologia e antropologia. São Paulo: EDUSP, 1974.

NIMUENDAJÚ, Curt. Lingua serénte. In: Journal de la Société des Américanistes. Tome 21 n°1, 1929. pp. 127-130. Disponível em: http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/jsa_0037-9174_1929_num_21_1_3661, Acesso em: 25/06/2014.

PELEGRINI, Sandra de Cássia Araújo. Patrimônio cultural: consciência e preservação. São Paulo: Brasiliense, 2009.

____; FUNARI, Pedro Paulo. O que é Patrimônio Cultural imaterial. Col. Primeiros Passos, 331. São Paulo: Brasiliense, 2008.

REIS, Ana Carla Fonseca; MARCO, Kátia (orgs.). Economia da Cultura. Idéias e vivências. Rio de Janeiro: Publit, 2009.

RUSSO, Suzana Leitão; SILVA, Gabriel Francisco da; NUNES, Maria Augusta Silveira Netto (Orgs). Capacitação em inovação tecnológica para empresários. São Cristóvão: Editora UFS, 2012.

SAMPAIO, Maurício Bonesso et al. Boas práticas de manejo para o extrativismo sustentável do capim dourado e buriti. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2010.

SCHROEDER, Ivo. Os Xerente: estrutura, história e política. Soc. e Cult., Goiânia, v. 13, n. 1, p. 67-78, jan./jun. 2010.

SCHMIDT, Isabel Belloni. Etnobotânica e ecologia populacional de syngonanthus nitens: sempre-viva utilizada para artesanato no Jalapão, Tocantins. Dissertação. Brasília: UnB, 2005. 91p.

SILVA, Gabriel Francisco da Silva; RUSSO, Leitão Russo (Orgs.) Capacite: os caminhos para a inovação tecnológica. São Cristóvão: Editora UFS, 2014.

SILVA, José Sousa; GIRALDIN, Odair. Akwe Homwaskuze: história e histórias para o povo xerente. Resumos Expandidos da 63ª Reunião da SBPC. Disponível em: http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/resumos/resumos/3584.htm, Acesso em: 25/06/2014.

STOCKING JR, George W. Objects and others: essays on museums and material culture. Madison: The University of Wisconsin Press, 1985.

WANGHON, Moisés de Oliveira; COSTA, Cíntia Reis. Indicações Geográficas como instrumento de proteção do patrimônio cultural imaterial. In: Revista da ABPI, n. 73, Novembro/Dezembro, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa Av. Dom Antônio, 2100 - Pq Universitário

CEP - 19.806-900 - Assis - SP - Brasil
Telefone (18) 3302-5835
e-mail: patrimonioememoria@gmail.com
http://www.cedap.assis.unesp.br

Indexadores


Portal RedibLatindexDiadorimHarvard Library

Periodicos Capes

SHERPA/RoMEOEBSCOPKP logo
SEERDialNetOAJIEZB
erihplus