Oliveira Viana, entre a escrita sociológica e a escrita de ação

Maria Stella Martins BRESCIANI

Resumo


Francisco de Oliveira Vianna dedicou sua vida profissional a estudos sobre a sociedade brasileira, tanto nos aspectos históricos e sociológicos, como nos aspectos legais e jurídicos. A questão da memória coletiva se apresentou como base de suas indagações ao postular como premissa de seus estudos o descompasso das formas de governo e legislação do país após a Independência com o efetivo comprometimento da população para com esses dispositivos institucionais. A memória coletiva, a seu ver, presente “nas células de nosso subconsciente” configurava para ele uma verdadeira herança genética, ou como afirmou: “a identidade moral não é uma fantasia: existe, os fatos a comprovam”. Essa convicção o levou a “investigar na poeira do passado os germes das nossas idéias atuais, os albores da nossa psique nacional”. O passado comum estaria na base do “caráter nacional”, conduzia o comportamento do “povo brasileiro” e se apresentava na persistente predominância do direito costumeiro em franco contraste e oposição ao direito legal. Sua extensa produção textual pode, portanto, ser lida na dimensão da busca dessa identidade com a intenção de moldar o cidadão e a sociedade brasileira, que considerava ainda precários devido a ausência de instrumentos de solidariedade, por meio de leis e instituições governamentais que atuassem no sentido de formar “agentes eficazes de integração social e integração política”.

Palavras-chave


Oliveira Vianna, interpretes do Brasil; memória da nação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa Av. Dom Antônio, 2100 - Pq Universitário

CEP - 19.806-900 - Assis - SP - Brasil
Telefone (18) 3302-5835
e-mail: patrimonioememoria@gmail.com
http://www.cedap.assis.unesp.br

Indexadores


Portal RedibLatindexDiadorimHarvard Library

Periodicos Capes

SHERPA/RoMEOEBSCOPKP logo
SEERDialNetOAJIEZB
erihplus